Como Investir no Tesouro Direto?

Como investir no Tesouro Direto?

Entender sobre o Tesouro Direto é um dos primeiros passos para a liberdade financeira, assunto que falo frequentemente em minhas palestras e cursos.

Mas acredito que muitos ainda têm a dúvida do que é o Tesouro Direto.

Tesouro Direto é o meio de aplicação financeira em títulos públicos.

Os títulos públicos são opções de renda fixa usados para captar recursos e captar e pagar a dívida pública e financiar ações do Governo Federal, como educação, saúde e entre outros setores.

Resumindo: Você investe esse dinheiro para que o governo possa trabalhar e depois esse dinheiro retorna para você com juros mais vantajosos do que o da poupança.

No site do Tesouro Direto você encontra os diversos títulos em que pode investir.

Para dar esse primeiro passo a liberdade financeira, você precisa se cadastrar em uma instituição financeira que não o banco, pois eles cobram juros muito alto para o valor que você pretende investir.

Então, antes de mais nada, pesquise sobre corretoras de valor e veja em qual ela mais te agrada.

Para se cadastrar nessas instituições é muito simples, basta possuir a conta em um banco comum e depois fazer o cadastro na corretora no site, sendo assim, rápido e ágil para começar a investir.

O segundo passo é conhecer os títulos do Tesouro Direto.

Tesouro Selic, esse é o título mais usado pelos novos investidores, pois você pode retirar ele a qualquer momento e tem a porcentagem de 6,5% no ano, sem esquecer de Imposto de renda e outras taxas.

Tesouro prefixado, esse é para quem busca segurança e rentabilidade e tem planos a médio e longo prazo.

Ao investir nesse título, você sabe exatamente qual é a rentabilidade do vencimento.

Tesouro IPCA, você recebe de acordo com a variação da inflação mais a taxa prefixada, sendo assim, você vai receber a rentabilidade daquele ano + a inflação do período em que investiu.

Esse título é ideal para quem não quer perder dinheiro na inflação em um longo prazo.

 

Além disso, você precisa definir objetivos para esse investimento!

Estude com calma qual o mais válido para os seus planos a curto e a longo prazo.

Após isso, veja os riscos desse investimento e acompanhe com uma certa frequência como vem retornando para você.

 

Esses são os primeiros passos para você começar a investir e ter a sua autonomia financeira e resultados a longo prazo de um investimento que inicialmente apenas estaria na poupança e com pouco retorno de lucro.

Em meu curso, eu abordo sobre o Tesouro e como se tornar rico!

Clique no link e invista em sua liberdade financeira de uma vez por todas.

Bitcoin – O que é e o que é preciso saber antes de investir na moeda virtual

A recente alta da moeda virtual bitcoin, que ultrapassou os US$ 7.000 pela primeira vez, tem chamado a atenção de investidores de todo mundo.

Mas, afinal, você conhece a moeda suficientemente para investir nela?

O que é o Bitcoin?

O Bitcoin é uma moeda virtual que utiliza tecnologia descentralizada para realização de pagamentos seguros e o armazenamento de dinheiro sem a necessidade de intermediários – ou seja, sem bancos!

Os bitcoins, ao contrário dos reais e dólares, não podem ser impressos por um Banco Central. Por ser um código, o Bitcoin é criado (minado) de forma digital, sendo produzido por uma comunidade, no qual qualquer um pode participar.

Baseado em matemática, apenas 21 milhões de bitcoins podem ser produzidos por “mineiros”. Dessa forma, em todo mundo, pessoas usam programas de software que seguem a fórmula matemática para produzir a moeda virtual.

Outras formas de conseguir a moeda são: comprando ou ganhando de alguém que a possua.

Como o Bitcoin surgiu?

A história do Bitcoin começou em 2008, com a publicação de um artigo escrito por Satoshi Nakamotopseudônimo utilizado pelo criador ou criadores do conceito Bitcoin – descrevendo com detalhes os métodos de utilização de uma rede de pagamento peer to peer (P2P).

Em janeiro de 2009, a rede Bitcoin surge com o lançamento do primeiro cliente Bitcoin de código aberto e a emissão das primeiras moedas. Satoshi Nakamoto extraiu o primeiro bloco, obtendo 50 bitcoins.  Estima-se que, nos primeiros dias, Nakamoto tenha minado 1 milhão de bitcoins.

O valor das primeiras transações utilizando as moedas virtuais foi negociado por indivíduos presentes nos fóruns BitcoinTalk. Um exemplo disso foi a transação notável de 10 mil bitcoins para a compra de uma pizza.

Vale a pena investir em Bitcoin?

Com tudo o que foi falado, não é surpresa que a moeda virtual tenha despertado o interesse dos investidores.

Afinal, o Bitcoin está aberto a todos e oferece uma oportunidade emocionante de investir em algo totalmente novo.

Por serem escassos e úteis, os bitcoins são valiosos. Como há uma quantidade limitada, à medida que novas moedas são minadas, restam cada vez menos bitcoins, tornando-se mais difícil e mais caro encontrar.

Não existe um valor oficial para a moeda. O preço do bitcoin é definido por quem quer vender e por quem está disposto a pagar. No entanto, é possível comprar menos de um bitcoin (partes da moeda).

Como toda aplicação de risco, investir no Bitcoin não é brincadeira, e assegurar seu investimento deve ser sua principal prioridade. Por isso, é necessário comprometimento por parte do investidor.

Caso esteja interessado em investir na criptomoeda, tome tempo para entender o que é e como funciona o Bitcoin, como proteger suas moedas e, principalmente, como a moeda digital difere da moeda tradicional.

Dessa forma, você ganhará segurança suficiente para investimentos tão novos e arrojados como esse.

 

 

Este conteúdo pode mudar a sua vida

Mentalidade.

Sim, já vi muita gente falando sobre isso e alguns ainda não tem ideia de como pensar da forma correta pode mudar as nossas vidas.

Em país onde temos as das maiores taxas de juros no mundo, onde ninguém aprende a poupar desde cedo, muito menos na escola, a falta de uma mentalidade adequada para lidar com o dinheiro faz sim uma grande diferença na vida das pessoas.

E quero te convidar a pensar diferente, a ter uma mentalidade diferente. Veja o vídeo a baixo:

Quer mudar sua mentalidade e melhorar sua vida financeira?

Então acessar aqui, inscreva-se (é gratuito) e participe comigo!

 

Entenda as novas regras do cartão de crédito.

As mudanças nas regras para o uso do rotativo do cartão de crédito começaram a valer nesta segunda-feira (03). O Conselho Monetário Nacional (CMN) expediu norma (resolução 4.549) disciplinando o parcelamento da fatura do cartão de crédito.

A partir de agora, os clientes só poderão fazer o pagamento mínimo da fatura e acessar o crédito rotativo apenas uma única vez. Antes, o consumidor pagava o valor mínimo da sua dívida quantas vezes fosse preciso. O que acumulava a conta por meses consecutivos.

A restrição foi criada para coibir o uso do rotativo e obrigar os bancos a oferecer uma solução de parcelamento para o cartão de crédito com juros mais baratos. A taxa de juro do rotativo encerrou 2016 em 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central, que considera a média de todas as instituições financeiras.

Assista ao vídeo e entenda melhor.

Como sair das dívidas

Se você já teve alguma dívida na vida você sabe o quanto isso gera medo não é?

Neste vídeo, que faz parte da série de vídeos do meu canal no Youtube, eu abordo exatamente sobre isso, como sair das dívidas.